Banner Haras Regina Topo
28 Jul 2017 | 00:50:01

Grã Bretanha: Sixties Song encara 9 adversários no “King George” de sábado

Estrela argentina busca a primeira vitória sul americana numa das mais prestigiosas provas do turfe europeu.

Alfredo Gaitan observa Sixties Song em Newmarket: argentinos querem fazer história

Imagem: www.turfdiario.com

A ascensão de Sixties Song no turfe argentino revelou-se meteórica. Na quinta apresentação da campanha, o filho de Sixties Icon e Blissful Song (Unbridled’s Song) encantou Buenos Aires ao vencer o GP Carlos Pellegrini (gr.I). Sobreveio, então, fácil vitória no GP Longines Latinoamericano (gr.I), no Chile. Como o céu parece ser o limite para o castanho de 4 anos, neste sábado (29) Sixties Song encarará missão hercúlea em solo europeu. Ele aparece inscrito, ao lado de outros 9 animais, no tradicionalíssimo King George VI & Queen Elizabeth Stakes (gr.I), em 2.400m na raia de grama, com mais de £ 650 mil destinados ao primeiro colocado.

Treinado por Alfredo Gaitan, Sixties Song terá no dorso o experiente – francês – Gerald Mosse, que muito embora ostentando currículo bastante vitorioso, ainda persegue a primeira vitória na prova. Pela baliza cinco, Sixties Song fará frente, dentre outros animais, ao atual ganhador do páreo, Highland Reel (Galileo) cujo retrospecto lhe rende, com justiça, o apelido de “globetrotter” – à medida que venceu, em diferentes países e continentes, importantes disputas. A “princesa da Europa”, Enable (Nathaniel), que emplacou um double nos Oaks britânico e irlandês, desponta como outra grande atração do lote.

Ganhadores de G1, Jack Hobbs (Halling), My Dream Bolt (Lord Shanakill) e Ulysses (Galileo) também despertam atenção de turfistas e membros da imprensa. Desert Encounter (Halling), Maverick Wave (Elusive Quality) e Benbatl (Dubawi) completam o campo do páreo. Sixties Song rateia aproximadamente 60 por 1 nos bookmakers britânicos.

De criação do Haras Firmamento e propriedade da Caballeriza Santa Elena, Sixties Song participará do nobre compromisso, em Ascot, treze anos após outro sul americano protagonizar atuação histórica, no mesmo páreo. À época treinado nos Estados Unidos, por Kenneth McPeek, o brasileiro Hard Buck (Spend A Buck), de criação do Haras Old Friends e propriedade de Team Victory, finalizou na segunda colocação do “King George” no ano de 2004, que teve em Doyen (Sadler’s Wells) o seu ganhador. Inobstante a invejável campanha, Hard Buck logrou êxito na reprodução, com destaque para Moryba, ganhador do Grande Prêmio Brasil (gr.I).

Mais notícias

Winx permanecerá na Austrália em 2018: planos adiados para Royal Ascot

Cotada a participar do festival britânico, craque australiana permanecerá “em casa” até o restante da temporada. Próxima atuação acontecerá no mês de abril.

Ler na íntegra

Taças de Prata: seletivas serão disputadas nos dias 1º e 2 de julho

Enquanto o Jockey Club de São Paulo promoverá seletivas propriamente ditas, o Jockey Club Brasileiro se utilizará das Provas Especiais Risota e Roi Normand como corridas classificatórias

Ler na íntegra

Ricardinho vem ao Hipódromo da Gávea para igualar o recorde mundial de vitórias

Ídolo das rédeas abrilhantará fim de semana carioca, em busca do recorde do canadense Russell Baze.

Ler na íntegra