Banner Haras Regina Topo
08 Jul 2018 | 17:40:01

Com autoridade, Ordinary Love conquista batismo clássico

Filha do nacional Ay Caramba rendeu ao Haras Doce Vale o troféu do GP Onze de Julho (gr.II).

Wesley da Silva Cardoso vibra com a vitória de Ordinary Love.

Imagem: Gérson Martins

Uma das atrações do domingo (8), no Jockey Club Brasileiro, o Grande Prêmio Onze de Julho (gr.II), em 2.000m na pista de grama (leve, com 6m de cerca móvel), para éguas de 4 e mais anos, representou o batismo clássico de Ordinary Love, 4 anos, filha de Ay Caramba e Buy Me Love (Jules), de criação e propriedade do Haras Doce Vale.

Tapera (Forestry) e Karol King (Rock of Gibraltar) saíram em briga pela primeira colocação. Num páreo à parte, a dupla abriu vários corpos à frente de Freeway Speed (Wild Event). Gyoza (Agnes Gold) corria em quarto e a favorita, Silence Is Gold (Agnes Gold) aparecia na quinta colocação.

Na reta de chegada, Tapera e Karol King resistiram à frente do pelotão até a altura dos últimos 300 metros. Nesse ponto, Ordinary Love, castigada na mão canhota de Wesley da Silva Cardoso, surgiu ultrapassando, uma a uma, de suas adversárias. Conquistando firme vitória, derrotou, por 2 corpos e ¼, a companheira de farda, Nemvemquenaotem (Fluke), que mesmo sem ter reta de chegada das mais limpas, garantiu a dobrada do Haras Doce Vale – e dos reprodutores nacionais, deste.

Future Queen (Wild Event), que vinha de finalizar em quarto no GP São Paulo (gr.I), ficou com o terceiro posto a 2 corpos e ¾, deixando Silence Is Gold (3) em quarto. Per-Piacere (Plenty of Kicks), sempre confirmando, completou o marcador a 3 corpos e ¼.

A seguir, Tapera, Etrusca, Gyoza, Freeway Speed, Ever So Clever, Pateo do Batel, Karol King e Querida Niquita. Feminine, que se chocou contra a cerca móvel na altura dos últimos 400 metros, derrubando o jóquei Muriel da Silva Machado, ficou com a última posição. Minutos após a disputa do páreo, a reportagem da TV Turfe do JCB informou que o piloto encontra-se recuperado da queda.

Treinada por Venâncio Nahid, Ordinary Love conquistou a segunda vitória em 8 saídas. Vinda de finalizar em terceiro no GP Roberto E Nelson Grimaldi Seabra (gr.I) vencido por Fanciful, Ordinary Love completou os dois quilômetros no tempo de 2:02.00.

A vitória de Ordinary Love, além da importância, por si só, rendeu ao Haras Doce Vale outro expressivo feito no tocante ao plantel de matrizes. A mãe da ganhadora, Buy Me Love, passou a contar com cinco ganhadores black type. Além dos arenáticos Grapette Repete (Know Heights) e Kijoliamour (Northern Afleet), respectivamente vencedores de G2 e listed, Buy Me Love produziu o ganhador do GP Brasil (gr.I), My Cherie Amour (Ay Caramba), e tríplice coroada - e champion, na condição de cavalo do ano - No Regrets (Fluke). 

Mais notícias

Este dia, finalmente, chegou: Darley enviará éguas para Galileo em 2018

Decisão põe fim à antiga política da coudelaria de Sheikh Mohammed bin Rashid Al Maktoum em não utilizar reprodutores da “rival”, Coolmore.

Ler na íntegra

Leilão da Criação Nacional: filhos de Public Purse e Shanghai Bobby são os preços mais altos

Lotes oferecidos pelos Haras Calunga e Santa Luzia da Água branca alcançaram R$ 90 mil, cada

Ler na íntegra

Mercado: milionárias, Songbird, Tepin e Stellar Wind roubam a cena no Kentucky

Primeira geração de American Pharoah também chamou atenção nos leilões da “capital do cavalo”.

Ler na íntegra