Banner Haras Regina Topo
08 Jul 2018 | 17:40:01

Com autoridade, Ordinary Love conquista batismo clássico

Filha do nacional Ay Caramba rendeu ao Haras Doce Vale o troféu do GP Onze de Julho (gr.II).

Wesley da Silva Cardoso vibra com a vitória de Ordinary Love.

Imagem: Gérson Martins

Uma das atrações do domingo (8), no Jockey Club Brasileiro, o Grande Prêmio Onze de Julho (gr.II), em 2.000m na pista de grama (leve, com 6m de cerca móvel), para éguas de 4 e mais anos, representou o batismo clássico de Ordinary Love, 4 anos, filha de Ay Caramba e Buy Me Love (Jules), de criação e propriedade do Haras Doce Vale.

Tapera (Forestry) e Karol King (Rock of Gibraltar) saíram em briga pela primeira colocação. Num páreo à parte, a dupla abriu vários corpos à frente de Freeway Speed (Wild Event). Gyoza (Agnes Gold) corria em quarto e a favorita, Silence Is Gold (Agnes Gold) aparecia na quinta colocação.

Na reta de chegada, Tapera e Karol King resistiram à frente do pelotão até a altura dos últimos 300 metros. Nesse ponto, Ordinary Love, castigada na mão canhota de Wesley da Silva Cardoso, surgiu ultrapassando, uma a uma, de suas adversárias. Conquistando firme vitória, derrotou, por 2 corpos e ¼, a companheira de farda, Nemvemquenaotem (Fluke), que mesmo sem ter reta de chegada das mais limpas, garantiu a dobrada do Haras Doce Vale – e dos reprodutores nacionais, deste.

Future Queen (Wild Event), que vinha de finalizar em quarto no GP São Paulo (gr.I), ficou com o terceiro posto a 2 corpos e ¾, deixando Silence Is Gold (3) em quarto. Per-Piacere (Plenty of Kicks), sempre confirmando, completou o marcador a 3 corpos e ¼.

A seguir, Tapera, Etrusca, Gyoza, Freeway Speed, Ever So Clever, Pateo do Batel, Karol King e Querida Niquita. Feminine, que se chocou contra a cerca móvel na altura dos últimos 400 metros, derrubando o jóquei Muriel da Silva Machado, ficou com a última posição. Minutos após a disputa do páreo, a reportagem da TV Turfe do JCB informou que o piloto encontra-se recuperado da queda.

Treinada por Venâncio Nahid, Ordinary Love conquistou a segunda vitória em 8 saídas. Vinda de finalizar em terceiro no GP Roberto E Nelson Grimaldi Seabra (gr.I) vencido por Fanciful, Ordinary Love completou os dois quilômetros no tempo de 2:02.00.

A vitória de Ordinary Love, além da importância, por si só, rendeu ao Haras Doce Vale outro expressivo feito no tocante ao plantel de matrizes. A mãe da ganhadora, Buy Me Love, passou a contar com cinco ganhadores black type. Além dos arenáticos Grapette Repete (Know Heights) e Kijoliamour (Northern Afleet), respectivamente vencedores de G2 e listed, Buy Me Love produziu o ganhador do GP Brasil (gr.I), My Cherie Amour (Ay Caramba), e tríplice coroada - e champion, na condição de cavalo do ano - No Regrets (Fluke). 

Mais notícias

ABCPCC informa: definição da sede da Copa dos Criadores em 2018

Festival será sediado, em 2018, pelo Jockey Club Brasileiro.

Ler na íntegra

Pai e filho, Forestry e Discreet Cat têm genética confrontada em Curitiba

No primeiro páreo destinado à geração 2015, no Paraná, um fato curioso e atrativo para turfistas de todo o Brasil: pela primeira vez as gerações nacionais de Forestry e de seu filho Discreet Cat se encontrarão nas pistas.

Ler na íntegra

Em possível despedida, Orpheus sobra no Clássico Duplex (L)

Defensor do Stud Jaguarete deverá seguir campanha nos Estados Unidos

Ler na íntegra